Sertã

 

Localização

sertaO concelho da Sertã ocupa uma zona montanhosa com 446,7 km2 na sub-região do Médio Tejo (NUTS III), integrada na região Centro (NUTS II). A delimitação do território a oeste pelo rio Zêzere contribui para a extensa mancha de água deste município, que totaliza 15.880 sertaginenses em dez freguesias.

A nível concelhio é confinado por Pampilhosa da Serra (norte), Oleiros (nordeste e este), Proença-a-Nova (sudeste), Vila de Rei e Mação (sul), Ferreira do Zêzere (sudoeste), Figueiró dos Vinhos (oeste) e Pedrógão Grande (noroeste).

Sede do município (coordenadas GPS, WGS84 Datum)

    • DDD (graus decimais): 39.8094, -8.0975
    • DMM (graus e minutos decimais): 39º48.5644', -8º5.8478'
    • DMS (graus, minutos e segundos): 39º48'33.7698'', -8º05'50.7125''

História

Os primeiros indícios de atividade humana no território datam da Pré-História (Calcolítico, Idade do Bronze e Idade do Ferro) com a construção dos castros de Nossa Senhora da Confiança (Pedrógão Pequeno) e de Santa Maria Madalena (Cernache do Bonjardim), a par de expressões artísticas rupestres como as insculturas da Fechadura (Figueiredo), da Lajeira (Ermida) e da Fonte das Rimas (Ermida).

O castelo terá sido fundado na Antiguidade pelo general romano Quinto Sertório, enquanto administrou o território (74 a.C.), sendo atribuída ao seu nome uma das possíveis origens do topónimo “Sertã”. A ocupação romana tem sido, igualmente, evidenciada por achados em todo o concelho, como os das estações arqueológicas da Mata Velha (Sertã) e da serra da Longra (Marmeleiro) ou as inscrições de Roqueiro (Pedrógão Pequeno) e da Castanheira (Ermida).

Uma parte significativa dos vestígios do domínio árabe concentra-se na área do castelo, reconstruído no seguimento da repovoação da região em plena época da Reconquista Cristã pelo cruzado D. Henrique de Borgonha, primeiro conde do Condado Portucalense. Anos mais tarde, o seu filho D. Afonso Henriques, criava o reino de Portugal (1139) e concedia a região à Ordem dos Templários (1165) que, por sua vez, a transferiu para a Ordem do Hospital (1174), dando início a cinco séculos de influência dos hospitalários.

No século XIV, a partir de 1340, os superiores desta Ordem passaram a designar-se Priores do Crato e um deles, D. Álvaro Gonçalves Pereira, estabelecer-se-ia na zona de Cernache do Bonjardim, onde em 1360 nasceu o filho Nuno Álvares Pereira. O Santo Condestável teria como conterrâneo e amigo Gonçalo Rodrigues Caldeira, o Roas, cavaleiro indispensável na batalha de Aljubarrota.

Durante o período em que D. Vasco de Ataíde deteve o grão-priorado e D. Afonso V governou o reino, o lugar de Pedrógão Pequeno foi atribuído através de carta de prazo, muito semelhante ao foral, a D. Diogo da Silveira, um escrivão do rei que elevaria a povoação a vila. Nessa altura, em 1455, a Sertã conquistou a mesma categoria na carta de foro atribuída por D. Afonso V e em menos de um século ambas as localidades recebiam novos forais, outorgados por D. Manuel I a 20 de outubro de 1513.

A edificação das igrejas matrizes de Pedrógão Pequeno (Imóvel de Interesse Público desde 1993) e de Cernache do Bonjardim teve início em meados do século XVI, surgindo a primeira nos registos da Confraria do Santíssimo Sacramento (1551). A Ordem de Malta, designação da Ordem do Hospital a partir de 1530, detinha ainda no território a Confraria de Nossa Senhora do Rosário.

No contexto histórico do domínio filipino destacam-se as primeiras décadas do século XVII, quando a ribeira da Sertã passou a ser transponível pela Ponte da Carvalha, igualmente conhecida por Ponte Velha, da Várzea ou Romana, que obteve classificação como Monumento de Interesse Público em 2013.

A Sertã integrou a lista de alcaidarias-mores do Priorado do Crato até à sua integração na Casa do Infantado no ano de 1665. No século XVIII, em 1790, a rainha D. Maria I confirmou o documento pontifício que Pio VI selara no ano anterior com o objetivo de integrar a administração do Priorado do Crato na Casa do Infantado. Até essa data diversos alcaides-mores pertenceram à família Caldeira (séculos XV e XVI), tendo a transmissão dos domínios passado a realizar-se por via não hereditária.

Com o século XIX chegaram as Invasões Francesas e a destruição que lhes estava inerente, sobretudo na incursão realizada pelas tropas do general Massena (1811), bem como a extinção e integração do concelho de Pedrógão Pequeno no município da Sertã devido à reforma administrativa de 1836.

O início do século XX ficou marcado pelo contributo da região para a Implantação da República através da disseminação dos ideais republicanos por figuras notáveis nascidas no concelho, como Albano Portugal Durão, membro do Partido Republicano Português, ministro e presidente da Câmara Municipal de Lisboa (1925).

Freguesias

A vila da Sertã é a sede deste município composto pelas freguesias de Cabeçudo, Carvalhal, Castelo, Pedrógão Pequeno (vila), Sertã (vila), Troviscal, União das Freguesias de Cernache do Bonjardim (vila), Nesperal e Palhais, União das Freguesias de Cumeada e Marmeleiro, União das Freguesias de Ermida e Figueiredo e, por fim, Várzea dos Cavaleiros. O concelho apresenta valores populacionais elevados na faixa etária dos 25 aos 64 anos, com exceção da União das Freguesias de Cumeada e Marmeleiro, onde a maioria dos habitantes tem idade igual ou superior a 65 anos.

As áreas geográficas das dez freguesias situam-se entre os cerca de 100 km2 da União das Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais e os quase 10 km2 de Carvalhal. Os valores populacionais colocam em extremos opostos as freguesias de Sertã, que ronda os 6.200 habitantes, e a União das Freguesias de Ermida e Figueiredo, com um número 14,5 vezes menor. Esta última freguesia destaca-se, igualmente, pela baixa densidade demográfica (10hab/km2) e contrasta com a de Cabeçudo, que supera os 95 habitantes por km2.

Áreas de Especialização

O tecido empresarial do concelho evidencia-se em áreas relacionadas com a exploração florestal (cortiça e silvicultura), as indústrias da madeira e derivados (extração e transformação, fabrico de mobiliário e papel), dos materiais de construção (construção civil), agroalimentar (ex. carnes e queijos), do corte e acabamento de pedra (mármores e cantarias), dos têxteis (confeções) e da produção de energia elétrica (eólica, hídrica e biomassa), bem como o comércio e serviços.

O número de sociedades e empresas desta região supera as 1.700, cerca de metade das quais dedicadas ao comércio por grosso e a retalho e à construção. A população empregada no setor terciário quase atinge dois terços do total e o setor secundário ronda os 30%. A expressão do setor primário é mais reduzida, englobando 6,5% dos trabalhadores, ainda que o número de explorações agrícolas registadas a nível municipal seja o quarto mais elevado do Médio Tejo.

Pontos de Interesse Turístico

Sertã é um concelho que convida a...

CULTURA

    • participar numa oficina de ideias na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes
    • assistir a uma sessão de cinema no Cineteatro Tasso do Clube da Sertã
    • aprofundar temas de interesse em exposições da Casa de Espetáculos e da Cultura
    • admirar as obras artísticas exibidas no Atelier Túlio Victorino, cujo edifício foi lar e espaço de trabalho deste pintor impressionista e discípulo dos mestres Bordalo Pinheiro e José Malhoa

    • apreciar os altares em talha dourada e os painéis de azulejos das igrejas matrizes de Cernache do Bonjardim, Pedrógão Pequeno e Sertã, bem como da Igreja da Misericórdia
    • vaguear nos claustros ancestrais do Convento de Santo António
    • sentir o espírito missionário no Seminário das Missões, inicialmente dedicado à consagração de sacerdotes para o Priorado do Crato
    • encontrar a espiritualidade em mais de quarenta igrejas, capelas e cruzeiros

HISTÓRIA

    • visitar as estações de arte rupestre da Fechadura e da Lajeira
    • investigar as ruínas das muralhas defensivas no Castro de Santa Maria Madalena
    • testemunhar os domínios romano e filipino nas diversas pontes, com destaque para a Ponte dos Três Concelhos, a Ponte da Carvalha e a Ponte Filipina de Pedrógão Pequeno
    • contar as cinco quinas do Castelo, detalhe arquitetónico raro em território nacional
    • descobrir as semelhanças e diferenças dos pelourinhos de Pedrógão Pequeno e Sertã
    • detetar traços de Art Déco nos Paços do Concelho, obra do arquiteto Cassiano Branco

LAZER

    • surpreender-se com a peculiar Aldeia de Xisto de Pedrógão Pequeno
    • fotografar paisagens arrebatadoras no miradouro de Nossa Senhora da Confiança
    • recordar ofícios tradicionais nos inúmeros moinhos, azenhas e lagares de azeite
    • percorrer a Alameda da Carvalha e relaxar nos espaços verdes perto do Lagar de Vara

NATUREZA

    • estender toalhas de praia e de piquenique nas praias fluviais da Ribeira Grande, do Marmeleiro, do Trízio e do Troviscal
    • praticar desportos náuticos e mergulhar nas albufeiras das barragens de Bouçã, do Cabril e do Castelo de Bode
    • caminhar nas inúmeras rotas e trilhos temáticos criados para entusiastas de percursos pedestres
    • conquistar montes e serras (Nossa Senhora da Confiança, Figueiredo, Cabeço da Rainha e outros) e sentar nas margens das ribeiras (Isna, Sertã, Tamolha, Amioso, Porteleiros e outras)

Em suma, visitar a Sertã é explorar incontáveis cursos de água e albufeiras, frequentar clubes culturais com tradição secular, conhecer vivências religiosas de clausura e evangelização, atravessar pontes históricas e degustar Cartuchos de Amêndoa à moda de Cernache numa ruela típica das aldeias rústicas. O património classificado valoriza a arquitetura e recheio das igrejas, a par dos imóveis históricos como os pelourinhos e as pontes.


Quer conhecer melhor este concelho e a região do Médio Tejo?

Poderá fazê-lo durante a sua visita à Casa de Espetáculos e da Cultura, no espaço virtual PACAD - Programa de Animação Científica Artística Digital (parceria CIMT/Câmara Municipal de Sertã).

Principais Festividades

Ao longo do ano, o concelho celebra e partilha a sua identidade:

CRIATIVA

pela promoção das letras nas 24 horas da Maratona de Leitura (julho) e a organização de diversas feiras do livro, nomeadamente as de verão (agosto) e de Natal (novembro/dezembro)

GASTRONÓMICA

através do Festival de Gastronomia do Maranho e do Bucho (julho)

RELIGIOSA

com a Romaria de São Nuno de Santa Maria (abril), as cerimónias ao longo da Quaresma, que incluem o Sábado Gordo e os Passos, bem como as celebrações realizadas em honra de S. Pedro (junho), Nossa Senhora dos Remédios (agosto), Nossa Senhora da Confiança (setembro) e Nossa Senhora da Graça (outubro)

TRADICIONAL

ao realizar a Mostra do Santo Condestável, que inclui folclore e jogos tradicionais, a Feira Franca (ambas em agosto), as feiras anuais de Cernache do Bonjardim e Pedrógão Pequeno (agosto/setembro) e a Feira das Varas (outubro)


FONTES

CIMT - Portal do Empreendedor, Fundação Francisco Manuel dos Santos (PORDATA – Base de Dados Portugal Contemporâneo), IGESPAR - Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, IGP - Instituto Geográfico Português (CAOP), INE – Instituto Nacional de Estatística (Censos 2011 e Recenseamento Geral da Agricultura 2009), Reorganização Administrativa de Freguesias (Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro), sites institucionais dos municípios associados e respetivas juntas de freguesia - informação recolhida em setembro de 2013.

Notícias

PrevNext

“Moovideias – Sessão 5 "Plano de Negócios e Pitch final"

Decorre hoje, dia 14 de julho, a quinta e última sessão – Plano de Negócios e Pitch Final, onde se irá concluir os aspetos ligados à gestão financeira trabalhando, mais...

14-07-2017

Transporte a Pedido em funcionamento no concelho de Ferreira do Zêzere a partir de 17 de julho

No âmbito do projeto Transporte a Pedido no Médio Tejo, pioneiro a nível nacional na experimentação de novas soluções de transporte público adaptadas às zonas de baixa densidade populacional, e...

14-07-2017

Autarcas do Médio Tejo entregam viaturas elétricas e assinam protocolo para a Promoção da Mobilidade Elétrica na região

Decorreu hoje, dia 27 de junho, pelas 11h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal do Entroncamento, a Cerimónia de entrega de 13 viaturas elétricas devidamente adaptadas para serem utilizadas como...

27-06-2017

Sistema de videovigilância para incêndios florestais

  No âmbito de candidatura aprovada ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, deu-se início ao arranque da sua execução no dia 03-05-2017, dos serviços para...

23-06-2017

Presidente da CIM do Médio Tejo no 1º Congresso Empresarial da Beira Baixa

Durante três dias, cerca de 350 participantes, participaram no 1º Congresso Empresarial da Beira Baixa, que decorreu na AEBB Castelo Branco, entre os dias 26 e 28 de Maio. Maria do...

05-06-2017

IX Feira EMPRE - Empresários na Escola

  No próximo dia 6 de junho/2017, entre as 14h00 e as 18h00 vai decorrer no Parque Ribeirinho de Vila Nova da Barquinha a IX Feira EMPRE – Empresários na Escola. Em...

02-06-2017

CIM Médio Tejo organizou sessão da apresentação pública do SI2E

Teve lugar na manhã de hoje, dia 29 de maio, no TAGUSVALLEY, em Abrantes , a sessão de Apresentação Pública do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e Emprego na região...

29-05-2017

Apresentação Pública do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)

Vai realizar-se no próximo dia 29 de maio pelas 11h00, nas instalações do Tagusvalley em Abrantes, a apresentação pública do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E) no...

25-05-2017

SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego

Encontra-se a decorrer a 1ª fase para apresentação de candidaturas no âmbito Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E) - AVISO N.º CENTRO-M7-2017-21, o qual termina no próximo...

24-05-2017

Eventos

Est-2020

sig

Vive o Empreendedorismo

central-compras

transporte-a-pedido